https://www.facebook.com/associacaocomercialindustrialsantotirso/

https://muroplaco.pt/pt

Empresas da região redirecionam produção para criar equipamento de proteção para profissionais de saúde

“São já mais de 3000 mil unidades produzidas e vamos continuar a ajudar”. Foi desta forma que a Casa dos Reclamos (CDR) anunciou o número de viseiras que já produziu desde que decidiu redirecionar a sua produção – habitualmente ligada à publicidade – para a conceção de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde.

A empresa de Vila das Aves, concelho de Santo Tirso, está a produzir viseiras e até já fez parceria com a Associação Avense – AA78, para apetrechar os hospitais da região.

Numa publicação no Facebook, a AA78 fez saber que “em menos de 48 horas do início da nossa campanha, algumas das viseiras produzidas pela CDR já se encontram em plena utilização pelo Serviço Urgência e pela UCIP, do Hospital de Guimarães”.

“A enfermeira Madalena Alves fez o favor de as transportar para quem de direito. Não é tempo de burocracias! É tempo de ações… Amanhã contamos entregar mais Viseiras na Unidade de Infeciologia do Hospital de S. João (Porto) e no Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital de Santo António (Porto). Seguem o Centro Hospitalar do Médio Ave (Santo Tirso e Famalicão) e Serviço de Urgência do Hospital de Penafiel”, relatou a coletividade.

No concelho da Trofa, mais propriamente na freguesia de Alvarelhos, a empresa Impressiona 3D também decidiu não aceitar encomendas online e ocupar as suas máquinas na produção de suportes de viseiras, em parceria com a Devise Solutions.

“Tentar reduzir a falta de equipamento de protecção individual aos nossos profissionais de saúde” é, segundo a empresa, o objetivo deste redirecionamento do negócio.

“Vamos disponibilizar toda a matéria prima que temos em stock, que será suficiente para fabricar perto de uma centena de suportes, e a Devise Solutions encarrega-se de fornecer e montar as viseiras e elásticos, e organizar a entrega destes equipamentos aos hospitais”, explicou ainda.

Leia também...