Auto Soluções

EMPREITADA DE LIGAÇÃO À ZONA EMPRESARIAL
DE FONTISCOS E REFORMULAÇÃO DO NÓ DA ERMIDA
PRONTA A AVANÇAR

A empreitada de ligação à Zona Empresarial de Fontiscos e Reformulação do Nó da Ermida, em Santo Tirso, com um prazo de execução de 300 dias, está pronta para avançar, após a assinatura, hoje, do respetivo auto de consignação. Para o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, que marcou presença na cerimónia, este projeto é um ato que presta justiça a Santo Tirso e à capacidade do Município para atrair investimento.

“Quando queremos responder a uma terra que tem dado tanto ao país, não estamos a fazer nenhum favor, mas sim a fazer justiça a Santo Tirso, ao povo de Santo Tirso e a esta capacidade de atrair investimento”, disse Pedro Nuno Santos. 

Orçada em 3,2 milhões de euros, a obra visa a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança da atual ligação entre o Nó da A3 e as zonas empresariais de Fontiscos e da Ermida. 

A empreitada a executar será desenvolvida em dois locais. No Nó de Fontiscos consiste na transformação dos atuais acessos numa rotunda de nível, garantindo a melhoria das condições de circulação e de gestão de tráfego na ligação à rede viária municipal. No Nó de Ermida, será, também, criada uma rotunda na zona da atual interseção dos ramos a norte da EN104 do referido nó. 

Para o presidente da Câmara Municipal, Alberto Costa, trata-se de um “investimento absolutamente estratégico para Santo Tirso, porque contribui para o esforço que o Município tem vindo a fazer no sentido de criar um ambiente favorável à atração de investimento privado e de crescimento das empresas já aqui instaladas”. 

“A criação de uma ligação à Zona Empresarial de Fontiscos e a reformulação do Nó da Ermida é mais um passo dado na direção da revolução, silenciosa, que está em curso no Município, no que toca a mobilidade urbana e requalificação do espaço público”, disse. 

Alberto Costa lembrou, a propósito, que esta obra enquadra-se no eixo relativo ao Emprego e Investimento, um dos cinco que definiu como prioritários para o ciclo autárquico 2021-2025. “A requalificação das zonas empresariais, nas quais já investimos cerca de cinco milhões de euros, e a criação de novas acessibilidades são mesmo prioridades para nós”, sublinhou. 

“É por isso que, já a pensar no futuro – e fruto do diálogo e proximidade que temos com as empresas –, iremos concluir até ao final deste ano o estudo prévio relativo à construção de uma variante à Estrada Nacional 105”, revelou o autarca. 

Conforme explicou, “a nova variante, em via rápida, numa extensão de cerca de seis quilómetros, está projetada para ligar o nó da A3 à A41, no Vale do Leça, de forma a servir um conjunto de zonas empresariais – em especial a da Ermida – e para descongestionar o intenso tráfego que diariamente atravessa a Estrada Nacional 105”. 

À semelhança do que aconteceu com o projeto dos nós de Fontiscos e da Ermida, Alberto Costa acredita que será possível haver “sintonia com a Infraestruturas de Portugal (IP), em relação ao projeto da nova variante, e com o Governo, em relação ao financiamento”. 

Respondendo ao repto, o ministro Pedro Nuno Santos admitiu haver “disponibilidade total do Governo e da IP para continuarmos a trabalhar com a Câmara Municipal de Santo Tirso, tendo em vista a revolução que se pretende”, no que toca à mobilidade urbana no concelho. 

O auto de consignação da empreitada de ligação à Área Industrial de Fontiscos e Reformulação do Nó da Ermida foi assinado por Miguel Cruz, presidente da IP, e Maria de Lurdes Oliveira, presidente do Conselho de Administração da CJR – Cândido José Rodrigues, S.A., empresa que irá executar a obra. 

A empreitada realiza-se no âmbito do PRR – Plano de Recuperação e Resiliência – Valorização de Áreas Empresariais, cofinanciado pela União Europeia, e tem um prazo de execução de 300 dias

Leia também...