Desportivo das Aves assegura subida à 1.ª Divisão

O Desportivo das Aves empatou hoje a dois golos na Ribeira Brava, frente ao União da Madeira, e assegurou o regresso à I Liga, em partida relativa à 39.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol.

No Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava, com o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença a assistir, os golos de Barry (74 minutos) e de Guedes (79) igualarem o marcador e carimbaram o regresso ao escalão principal do futebol português do Desportivo das Aves, dez anos depois da sua última presença.

Aos 08 minutos, após um centro de Rúben Lima, Cédric Amissi surgiu rápido e, de cabeça, inaugurou o marcador. Aos 20 minutos, os madeirenses ampliaram a vantagem, novamente por Cédric, num remate acrobático, após um desvio de Luan à barra, correspondendo a uma assistência de Luís Carlos.
O treinador do Aves, José Mota, teve a primeira contrariedade ainda antes do apito inicial, com o lesão do veterano guarda-redes Quim, que foi substituído por Marco Pinto.
Insatisfeito com o rumo dos acontecimentos nos primeiros 20 minutos, José Mota procurou dar um maior poder ofensivo à sua equipa, com a troca do lateral-esquerdo Ribeiro e a entrada do avançado Barry, recuando Balogun para a esquerda da sua defesa.
Contudo, os resultados práticos não se fizeram sentir, embora o Desportivo das Aves tenha equilibrado mais o jogo.
No regresso dos balneários, os madeirenses voltaram a estar melhor e aos 48 minutos, Mica, num remate à entrada da área, obrigou Marco Pinto a uma defesa apertada. O Desportivo das Aves não conseguia responder e, aos 51 minutos, Luís Carlos enviou a bola ao poste.
José Mota voltou a mexer na equipa com a entrada de Theodore Mendy e, aos poucos ,o Desportivo das Aves foi subindo no terreno. Caetano, aos 58 minutos, num remate em rotação, fez o primeiro remate com algum perigo da sua equipa. Os madeirenses responderam de pronto e, aos 62 minutos, Luís Carlos surgiu solto na área, mas não conseguiu ultrapassar Marco Pinto.
O Desportivo das Aves esteve muito perto de reduzir, à passagem dos 68 minutos, num remate que embateu na barra, desferido por Barry.
Todavia, o Desportivo das Aves crescia claramente no jogo e reduziu aos 74 minutos, com um cabeceamento de Barry, na sequência de um canto. O empate haveria de surgir, pouco depois, num rápido contra-ataque, com Theodore Mendy a assistir Guedes para o golo da igualdade e para uma enorme festa por parte de todos os elementos ligados ao Desportivo das Aves.

 

Aves foi quem mais mereceu a subida, a par de Portimonense, José Mota
O treinador do Desportivo das Aves, José Mota, disse hoje que o seu clube, a par do Portimonense, foi “quem mais mereceu” a subida à I Liga portuguesa de futebol, após o 2-2 na visita à União da Madeira.
Com o empate na Ribeira Brava, na 39.ª jornada da II Liga, o Desportivo das Aves passou a somar 72 pontos, mais 13 que o Penafiel, a outra equipa que tinha aspirações de promoção, mas que precisava de uma derrota do Aves na Madeira. “Os campeões fazem-se de sofrimento, entrega e ambição. Foram os adjetivos desta equipa ao longo desta época, que, como todos sabem, é um campeonato muito desgastante. Conseguir o feito de subir de divisão a três jornadas do fim é um feito muito importante. Nós, a par do Portimonense, fomos quem mais mereceu esta oportunidade de subida”, disse José Mota no final do encontro.
Depois de dar os parabéns ao Portimonense e ao treinador dos algarvios, Vítor Oliveira, José Mota insistiu que a subida do Desportivo das Aves “foi um feito de grandes dificuldades”. “Esta equipa, mais uma vez provou o caráter que tem nas adversidades. Foi um jogo muito difícil, frente a uma boa equipa. Conseguimos virar um resultado de 2-0, chegando ao empate, e quem sabe, poderíamos ter chegado à vitória”, avaliou José Mota.
Um ‘bis’ de Cedric Amissi nos primeiros 20 minutos, aos 08 e 20, colocou os madeirenses em vantagem por dois golos. No segundo tempo, Barry reduziu para o Aves, aos 74, e Alexandre Guedes, ao 79, igualou e fechou o resultado. “É um prémio muito justo para estes jogadores e esta direção, por tudo o que fizeram, para que nada faltasse aos profissionais. A direção está de parabéns, pois foram os principais mentores desta subida”, salientou o técnico do Desportivo das Aves.
Depois de agradecer o apoio da massa associativa do clube, José Mota enviou também uma palavra aos seus pupilos. “Os jogadores estão também de parabéns pela excelente época que fizeram, alguns deles completamente desconhecidos do grande público, que vieram a demonstrar a sua qualidade, jogo após jogo e que merecem este feito”, destacou o treinador.

 

Fonte: Lusa

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização