Auto Soluções

Covid-19: Aberto autoagendamento para vacinação de crianças de nove anos

O autoagendamento da vacinação contra a covid-19 de crianças de nove anos está disponível desde hoje, que podem também ser vacinadas no próximo fim de semana, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

“O portal de agendamento `online´ para vacinação possibilita, desde hoje de manhã, a solicitação do agendamento da vacinação de utentes com idade de nove anos, permitindo, assim, que os utentes de 9 a 11 anos possam ser vacinados no fim de semana de 18 e 19 de dezembro, no local mais conveniente, de acordo com a disponibilidade e a capacidade instalada dos postos de vacinação existentes”, adiantou a DGS em comunicado.

 O autoagendamento para a vacinação das crianças contra a covid-19 ficou disponível ao início da noite de segunda-feira, permitindo marcações de menores de 10 e 11 anos para o próximo fim de semana, sendo agora alargado aos menores de nove anos.

As crianças com comorbilidades terão prioridade para serem vacinadas, independentemente da idade, desde que tenham prescrição médica, bastando que se se dirijam aos centros para receberem a vacina contra o SARS-CoV-2.

A decisão de vacinar as crianças entre os 5 e os 11 anos resulta da recomendação da Direção-Geral da Saúde, depois de ouvida a Comissão Técnica de Vacinação e ponderadas as questões de natureza logística com o núcleo de coordenação de apoio ao Ministério da Saúde, nomeadamente a disponibilidade de vacinas da Pfizer, na versão pediátrica.

A DGS anunciou ainda que, desde hoje, a modalidade de “casa aberta” passou também a estar disponível para a vacinação contra a covid-19 ou contra a gripe de utentes com idade igual ou superior a 65 anos.

A covid-19 provocou pelo menos 5.320.431 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.698 pessoas e foram contabilizados 1.205.993 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Leia também...