CoronaVirus – Número de infetados em Portugal sobe para 642 e 6 são de Famalicão

Subiu para 642 o total de infetados em Portugal, detalha o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). Dois casos confirmados no Alentejo e um primeiro na Madeira deixam agora o país sem regiões livres da Covid-19.

No boletim epidemiológico divulgado ao final da manhã desta quarta-feira (com dados até às 24h de terça-feira), dá-se conta que 89 pacientes estão internados, 20 dos quais em cuidados intensivos. Três pessoas recuperaram.

De salientar a redução do número de doentes internados – eram 206. Os dados significam que 531 pessoas, apesar de doentes, recuperam em casa, por apresentarem sintomas mais ligeiros.

Fonte da ARSNorte confirmou ao Jornal do Ave que seis dos casos são do Município de Famalicão, a que se juntam 10 casos suspeitos.

Segundo a mesma fonte “estão a ser reorganizados os serviços de saúde no concelho, com criação de corredores de acesso a doentes com problemas respiratórios. A reformulação terá já levado ao encerramento de alguns centro de saúde em Famalicão, nomeadamente em Ruivães, Gondifelos e S.Cosme.

No total, Portugal soma 5067 casos suspeitos, estando 351 pessoas a aguardar o resultado da análise efetuada. Em vigilância estão 6656 cidadãos.

A atualização traduz um aumento de 43% face aos 448 casos registados no boletim anterior (mais 194 pacientes). A DGS menciona agora 24 cadeias ativas de transmissão sinalizadas – eram 19 no boletim anterior.

Das duas mortes confirmadas até ao momento, apenas a primeira consta no boletim divulgado esta quarta-feira.

Quanto à mancha geográfica, a região Norte voltou a ser a mais afetada, com 289 casos, seguida de Lisboa e Vale do Tejo (243); depois a região Centro, onde há registo de 74 infetados; somando-se 21 no Algarve, três doentes nos Açores; dois no Alentejo e um na Madeira.

Os casos importados somam agora 62, com origem sobretudo em Espanha (18), que ultrapassou Itália (17). Casos de França são 13, da Suíça 8, e Alemanha e Áustria; Andorra; Bélgica, Países Baixos e Reino Unido (1 caso de cada um destes países).

Olhando para aos grupos etários mais afetados, o boletim emitido esta quarta-feira mostra que a maior parte dos casos foi detetada na faixa entre os 40-49 anos (138, sobretudo mulheres – 75). Com idade até aos 9 anos estão registados 16 casos (13 meninas); 36 no grupo entre os 10 e os 19 anos; 87 entre os jovens na faixa entre os 20 e 29; e um total de 117 casos no grupo entre os 30 e os 39 anos (62 dos quais, homens). Entre os mais velhos, há registo de 92 infetados entre o grupo no intervalo 50/59 anos, 77 no grupo 60/69 anos (mais homens também, 49); estão doentes 49 pessoas com idades entre os 70 e os 79 anos e 30 com mais de 80 anos (19 são mulheres).

Os principais sintomas mencionados continuam a ser – com percentagens que vão variando – a tosse (31%) e febre (24% ), seguidas de cefaleias (17%) e dores musculares (17%); fraqueza generalizada (12%) e dificuldades respiratórias (10%).

Segundo a DGS, há 351 (eram 323) casos a aguardar resultado laboratorial e três casos recuperados.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização