Confeitaria Algarve vence Concurso Pudim Condessa Aldara

Oito gemas, 400 mililitros de açúcar, meio litro de água, uma colherzinha de Licor de Singeverga e outra de mel, uma pitadinha de canela, caramelo na forma e vai a cozer. Esta é a receita da proposta vencedora do Concurso Pudim Condessa Aldara, que será a sobremesa oficial dos Fins de Semana Gastronómicos de Santo Tirso, a 20, 21 e 22 de abril.

Promovido pela Câmara Municipal de Santo Tirso, em parceria com a Entidade Regional do Turismo Porto e Norte, o concurso tinha como objetivo a “criação de um novo produto gastronómico no concelho”. Vinte e oito propostas foram apresentadas numa prova cega, que decorreu na tarde de terça-feira, 6 de março, na Quinta de Fora, das quais o júri elegeu, numa primeira fase, sete pudins e, depois, consagrou o pudim da Confeitaria Algarve.
António Miranda, proprietário da Confeitaria Algarve, afirmou que “depositou a confiança” naquilo que “sabem fazer”, tendo desafiado a funcionária Laurinda Gonçalves a “fazer o pudim à sua maneira e que melhor servisse o produto de Santo Tirso”. Laurinda Gonçalves declarou que a receita “é muito fácil”, tendo “apostado nos elementos da terra”, como o Licor de Singeverga e o mel de Santo Tirso. Mas “o segredinho dos deuses” é a canela, que “tira um bocadinho o sabor do licor e do mel”. “Este pudim tem um bocadinho de sabedoria, que é fazer o ponto do açúcar. E é um pudim que se pode vender com um bocadinho mais de espaço nos restaurantes, porque não se estraga”, completou.
O pudim, agora denominado de Condessa Aldara, já pode ser encontrado na Confeitaria Algarve. António Miranda quer “divulgá-lo com a melhor precisão e, depois, no decorrer dos tempos”, espera “comercializá-lo para fora”.
O júri foi composto por Isabel Castro (diretora do departamento operacional do Turismo do Porto e Norte de Portugal), Miguel Cerqueira Correia (Grão-Mestre da Confraria do Vinho Verde), e os chefes Miguel Oliveira (pudim abade de priscos “Viva o Rei”), Miguel Cizeron (Club House Vale Pisão), António Loureiro (Cozinha) e Renato Cunha (Ferrugem).
Miguel Oliveira, conhecido como o rei dos pudins, afirmou que o produto vencedor apresentou “uma receita muito bem elaborada”, tendo “dois produtos magníficos” que se salientaram – Licor de Singeverga e o mel – e que fizeram “a diferença”, tendo sido “a razão” para ser um “justo vencedor”. O chefe referiu que foi “muito difícil” avaliar 28 pudins, mas, “ao mesmo tempo, foi muito enriquecedor”, tendo existido “três fatores fundamentais na avaliação”, a textura, a aparência e o sabor.

A gastronomia como desenvolvimento do concelho

O nome do pudim – Condessa Aldara -, adiantou fonte do Município, surge da “carismática figura histórica do concelho, mãe de São Rosendo e ‘benemérita’ do Mosteiro de São Bento”. Neste concurso podiam participar confeitarias, pastelarias e padarias, restaurantes e similares, estabelecimentos de ensino desta área específica, pasteleiros, padeiros ou autodidatas, desde que residentes no município.
Para Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, foi “importante a iniciativa, a participação de pessoas e de pequenas e microempresas, a promoção do turismo através da gastronomia e a necessidade que todos sentem de introduzir melhoramentos, inovar e ser proativo no turismo em geral”. “Procuramos fazer do turismo uma parte importante do nosso desenvolvimento, a par do desporto ao ar livre e da cultura. Obviamente que com o aparecimento do Pudim Condessa Aldara, é expectável que muitas pessoas venham a experimentá-lo e que outros restaurantes e outras partes do território o façam e o ponham à disposição da gastronomia”.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização