Caminhada a favor da LPCC em Vila Nova do Campo

Há dez anos, Glória Pimenta descobriu que tinha cancro da mama. Uma notícia que caiu como uma bomba, uma vez que um mês antes tinha feito uma mamografia que nada acusou. Hoje, está recuperada, mas não esquece aqueles que ainda travam esta luta.Por isso, impulsionou a Caminhada Solidária de Vila Nova do Campo, a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), que contou com o apoio da Junta de Freguesia, e que já vai na quinta edição.
Este ano, partiu do Parque de Espinho, em S. Martinho do Campo, passou por S. Salvador do Campo, e terminou na Quinta do Olival, em S. Mamede de Negrelos. Uma tarde de domingo solidária que mobilizou mais de mil pessoas. Cada t-shirt tinha um custo de cinco euros e foram vendidas 1200, juntamente com “canetas, blocos, escovas dos dentes e sacos de compras” rendendo, no total, 7500 euros. “Acho que as pessoas, mesmo com a crise, por esta causa estão sempre prontas a ajudar, porque o cancro mexe com todas as famílias”, afirmou Glória Pimenta. “Há muita solidariedade desta região para com a Liga, tanto que este ano alcançamos um valor que nunca tínhamos conseguido”, completou Jorge do Paço, do executivo da Junta de Freguesia de Vila Nova do Campo. À caminhada juntou-se, este ano, gratuitamente, Maria do Sameiro, para animar os participantes e houve ainda “um miminho da organização, com fruta e água, e a largada de balões. Tudo oferecido”. Estas particularidades fazem desta caminhada “a maior do Norte, por isso não convém acabar”, afirmou Glória Pimenta, que “enquanto puder” vai organizar a iniciativa. Particulares e comerciantes locais juntaram-se ao movimento solidário e venderam os objetos, contribuindo para que a quinta edição “superasse as expectativas”, realçou Jorge do Paço, que analisa esta caminhada como “a maior de sempre”. “Não podemos deixar morrer uma iniciativa que tem o peso que tem para a Liga e a envolvência aqui no meio”, apelou, agradecendo “a toda a gente que participou”.
Com as cinco edições, a organização da Caminhada Solidária de Vila Nova do Campo já conseguiu doar à LPCC “mais de 40 mil euros”. “Agora tenho muita gente que me ajuda. Sou uma pessoa feliz”, desabafou Glória Pimenta, que pretende mostrar às pessoas “que têm que ter fé e esperança”. Dez anos depois, Glória Pimenta vê “a vida de outra maneira” e sabe que estes donativos “fazem muita falta à Liga”.

Foto: David Martins

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização