Select Page

Câmara e PCP homenageiam Lino Lima

Câmara e PCP homenageiam Lino Lima

Para homenagear o famalicense Lino Lima, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão decidiu atribuir o seu nome ao largo situado entre a Rua Conselheiro Santos Viegas e a Rua Manuel Pinto de Sousa, junto aos Paços do Concelho, passando a denominar-se “Praceta Lino Lima”.
O município famalicense e o Partido Comunista Português (PCP) vão homenagear o advogado famalicense e destacado membro da Oposição Democrática do Estado Novo a 21 de fevereiro, antecipando a Sessão Solene que dá início às comemorações do centenário do nascimento de Lino Lima e que vai contar com a presença de Jerónimo de Sousa, secretário geral do PCP. Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal, apresentou uma proposta para um programa evocativo que se vai prolongar ao longo do ano. O programa abrange a entrada de Lino Lima para a toponímia famalicense, a organização da exposição “Lino Lima – Uma Vida pela Liberdade”, a realização de um colóquio sobre a sua personalidade e a edição de uma brochura com depoimentos de familiares e amigos.
Lino Lima nasceu no Porto e mudou-se ainda pequeno para Vila Nova de Famalicão, onde cresceu, viveu e trabalhou. Tornou-se um dos advogados mais importantes do seu tempo na comarca e na defesa dos presos políticos nos tribunais plenários. Foi militante do PCP desde 1941 e teve uma intensa atividade política, ligando-se aos movimentos políticos criados ou apoiados pelo partido.
Apoiou as candidaturas presidenciais de Ruy Luís Gomes e Humberto Delgado, participando ativamente nas eleições para a Assembleia Nacional de 1957 e 1969, nos Congressos Republicanos de 1957 e 1969 e no Congresso da Oposição Democrática de 1973.
Tornou-se líder da Oposição Democrática do distrito de Braga. Em 1996, a autarquia famalicense atribuiu a Lino Lima a medalha de honra do município e, no mesmo ano, o Presidente da República, Jorge Sampaio, condecorou-o com a Grã Cruz do Infante. A 9 de janeiro de 1999, a Assembleia da República aprovou um voto de pesar pela sua morte, assim como fez a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, a 26 de fevereiro do mesmo ano.
“Em toda a atividade política de combate à ditadura, ao longo de mais de três dezenas de anos, Lino Lima evidenciou uma nobreza de caráter, de coragem e de combatividade, que fizeram dele um adversário político temível, que nunca cedeu e o tornaram um símbolo da liberdade. Viveu o dia da revolução de 1974 com enorme alegria, deixando cair no rosto as lágrimas que sempre conteve perante a PIDE”, referiu Artur Sá da Costa, historiador, que vai coordenar o programa das comemorações.

 

 

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização