Câmara de Santo Tirso faz testes COVID-19 a todos os funcionários e utentes dos lares do concelho

MEDIDA ABRANGE INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS E ENVOLVE CERCA DE DOIS MIL RASTREIOS

Os 14 lares do Município de Santo Tirso propriedade de instituições públicas (10) e privadas (quatro) vão começar a ser rastreados a partir de amanhã, dia 17 de abril, numa ação dialogada e articulada entre a Câmara Municipal de Santo Tirso, a Administração Regional de Saúde do Norte e o secretário de Estado coordenador do Estado de Emergência na zona norte do País. No total, serão feitos cerca de dois mil testes de despistagem à Covid-19, abrangendo quer os utentes, quer os funcionários dos lares. Em simultâneo, os lares e os restantes equipamentos sociais de cariz residencial já estão a receber equipas multidisciplinares constituídas por técnicos da Câmara Municipal de Santo Tirso, da autoridade de Saúde Pública local e da Segurança Social, com o objetivo de articular a melhor resposta em caso de emergência e de garantir o cumprimento das normas e orientações estabelecidas de combate à pandemia.

A realização do rastreio a todos os lares sediados no Município de Santo Tirso é uma medida que estava a ser dialogada com o Governo, com a autoridade de saúde a nível regional e local e com a Segurança Social, face à evolução da situação da pandemia em território municipal.

Para o presidente da Câmara de Santo Tirso, “o Município está a seguir, desde a primeira hora, uma estratégia que tem dado resultados e permitido uma resposta rápida e eficaz às necessidades que se verificam no terreno”.

“Os testes que vão começar a ser feitos em todos os lares enquadram-se precisamente no esforço desenvolvido pela Câmara Municipal de articular com as entidades responsáveis, nomeadamente o Governo, a autoridade de saúde e a Segurança Social, as melhores medidas e soluções de resposta à pandemia”, considera Alberto Costa, justificando: “Naturalmente, os lares têm merecido por parte da Câmara Municipal uma especial atenção, porque prestam um serviço àquele que é considerado o principal grupo de risco no contexto da pandemia”.

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso sublinha ainda que o rastreio dirigido a todos os utentes e funcionários dos lares vai permitir “ter uma ideia mais concreta e fiável da situação” que se vive nos equipamentos sociais de cariz residencial e “avaliar a possibilidade da tomada de medidas complementares” àquelas que já foram postas no terreno pela Câmara Municipal de Santo Tirso.

“Tudo o que for preciso fazer para responder a um qualquer problema de emergência que ocorra no Município, vamos fazê-lo. Temos 300 camas em cinco Centros de Acolhimento Municipal, para o que seja necessário, para além do Hospital de Campanha instalado na Escola de S. Rosendo”, deixa a garantia Alberto Costa.

CÂMARA, AUTORIDADE DE SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL VISITAM LARES

Simultaneamente à realização de testes à Covid-19, os equipamentos sociais de cariz residencial de instituições públicas e privadas do Município estão também a receber a visita de duas equipas multidisciplinares constituídas por técnicos da Câmara Municipal de Santo Tirso, da autoridade de Saúde Pública local e da Segurança Social, com o objetivo de articular a melhor resposta em caso de emergência e de garantir o cumprimento das normas e orientações estabelecidas de combate à pandemia.

Medidas genéricas, como garantir que o plano de contingência da instituição está ativado; medidas dirigidas aos utentes, nomeadamente garantir a distância de 1,5 a 2 metros entre camas ou locais em que se encontrem os utentes, reduzir a utilização de espaços comuns ou utilizá-los por turnos ou ainda isolar qualquer utente com sintomas (febre, tosse ou falta de ar); medidas dirigidas aos funcionários, como, por exemplo, organizar os profissionais por equipas, sem contacto entre si ou medir a temperatura e vigiar a tosse e falta de ar antes do início de cada jornada de trabalho, são alguns dos aspetos a que as duas equipas multidisciplinares no terreno vão dar atenção, entre outras, nas visitas que estão a realizar aos 20 equipamentos sociais localizados no Município.

“O objetivo da iniciativa articulada com as autoridades de saúde e a Segurança Social não é fiscalizar os equipamentos sociais, nomeadamente os lares, mas apenas assegurar que as recomendações estão a ser cumpridas e que os procedimentos a adotar em caso de emergência também serão postos em prática”, esclarece o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.

No final da ação conjunta entre Câmara Municipal de Santo Tirso, autoridade de Saúde Pública local e Segurança Social, será produzido e enviado a todas as instituições sociais um relatório com as principais conclusões tiradas do trabalho realizado no terreno, com sugestões, esclarecimentos e reforço das recomendações da Direção-Geral da Saúde e das orientações preventivas do Governo, para fazer face à situação de calamidade provocada pela Covid-19.

Ainda em paralelo à iniciativa de monitorização do cumprimento das normas e orientações decretadas pelo Governo, a Câmara Municipal de Santo Tirso vai também disponibilizar 10 tablets pelos lares públicos existentes no Município, com o objetivo de permitir que os utentes possam contactar à distância os familiares.

A ação conjunta entre as três entidades iniciou-se dia 15 de abril e vai decorrer até dia 21.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem