https://autosolucoes.pt/viaturas/

Câmara de Famalicão investe mais de 200 mil euros no apoio à cultura

Depois do anúncio da segunda edição do programa “Há Cultura em casa” para valorizar os artistas locais e preservar a dinâmica cultural do concelho, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai aprovar na reunião do executivo municipal de amanhã, quinta-feira, a atribuição de apoios financeiros no valor total de 202.500 euros a mais de uma dezena de associações culturais e artísticas do concelho para projetos de dinamização cultural.

A medida visa apoiar um conjunto diversificado de associações e artistas locais, desde ranchos folclóricos e etnográficos, grupos musicais e bandas marciais, associações de artes performativas, teatro, circo e patrimoniais.

Assim de acordo com a proposta serão atribuídos os seguintes apoios. À Fábrica da Igreja Paroquial de Santa Marinha de Gondifelos será concedido um subsidio no valor de 25 mil euros com vista à comparticipação nos custos de restauro do órgão de tubos da igreja. À Associação Cultural e Desportiva São Martinho de Brufe, ao Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria e ao Grupo Infantil e Juvenil de Danças e Cantares de Joane, será a atribuída a verba de dois mil euros a cada uma. O Orfeão Famalicense irá receber um apoio de dois mil euros e a Tusefa de 1.500 euros. A Banda Marcial de Arnoso e a Sociedade Artística e Musical de Riba de Ave irão beneficiar de um apoio de 14 mil euros cada para ajuda à dinâmica das suas atividades. O Inac – Instituto Nacional de Artes do Circo e o Teatro da Didascália irão receber um apoio de 40 mil euros cada para ajuda ao seu plano de atividades culturais e artísticas. A Associação Cultural Cão Danado irá, por sua vez, beneficiar de uma verba de 30 mil euros. E por fim será atribuído um subsídio no valor de 30 mil euros ao Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, tratam-se de “apoios fundamentais para que as associações possam continuar a desenvolver o seu trabalho cultural e artístico de grande importância para as comunidades e para o concelho, numa altura tão difícil para todos”. Por outro lado, com estes apoios a autarquia famalicense pretende “preservar e valorizar, numa perspetiva de solidariedade e coesão, tanto a riqueza como a dinâmica das atividades que têm pautado a vida cultural de Famalicão”.

Recorde-se que ainda na semana passada, a autarquia anunciou a segunda edição do programa “Há Cultura em Casa”, que vai arrancar em março e pretende por um lado promover o acesso a atividades culturais neste período de confinamento, e por outro lado valorizar e apoiar os artistas locais preservando a dinâmica cultural do concelho.

Leia também...