Aves vence em Guimarães e dá passo firme para a permanência

O Desportivo das Aves conseguiu hoje a primeira vitória da sua história no reduto do Vitória de Guimarães, com um triunfo por 2-0 que teve como ‘dano colateral’ a descido do Feirense à II Liga portuguesa de futebol.

Em encontro da 30.ª jornada do campeonato principal, o brasileiro Derley, aos nove minutos, e o guineense Mama Baldé, aos 66, escreveram história no D. Afonso Henriques, que acabou o jogo a insultar, com assobios, os seus jogadores.

Com o triunfo em Guimarães, o conjunto da Vila das Aves, ainda detentor da Taça de Portugal, deu um passo de ‘gigante’ para continuar na I Liga, ao passar a somar 33 pontos, à condição mais seis do que a primeira equipa abaixo da ‘linha de água’.

O ‘timoneiro’ Augusto Inácio recebeu a equipa no último lugar, com 12 pontos, no final da primeira volta (17 jornadas), e, em 13 jogos, já acrescentou 21 pontos, ao somar seis vitórias, três empates e apenas quatro derrotas.

Mais impressionante, ainda a invencibilidade em reduto alheio, com quatro triunfos e três igualdades: a manutenção ainda não é uma realidade matemática, mas está perto de ser.

Por seu lado, e depois de oito triunfos nos últimos 10 jogos em casa — era exceções um 0-1 com o Benfica e um 0-0 com o FC Porto -, o Vitória sofreu a terceira derrota como anfitrião e não conseguiu chegar-se ao quinto lugar, do vizinho Moreirense.

Na luta pela manutenção, também o Tondela deu um grande passo em frente, ao bater em casa o Boavista por 1-0, graças a um autogolo do francês Stéphane Sparagna, que desviou de cabeça, para a baliza errada, um pontapé de canto, aos 17 minutos.

O conjunto de Pepa passou a contar 31 pontos, apenas menos um do que os ‘axadrezados’, que, depois de terem começado o campeonato com um triunfo em Portimão, por 2-0, jamais ganharam fora, numa ‘seca’ que já vai em 14 jogos.

Ao contrário dos avenses e dos viseenses, o Vitória de Setúbal e o Portimonense não conseguiram ganhar, ‘anulando-se’ no Estádio do Bonfim: os locais adiantaram-se por José Semedo, o amigo de Cristiano Ronaldo, aos 33 minutos, mas, com o fim à vista, aos 87, o brasileiro Ruster, o mais pequeno jogador do Portimonense, empatou, num golpe de cabeça.

Assim, os algarvios saltaram para os 33 pontos e os sadinos para os 32.

Muito mais complicada, ficou a tarefa do Nacional, que perdeu em casa por 1-0 com o Sporting, culpa de um golo do brasileiro Luiz Phellype – o substituto do lesionado Bas Dost -, que, aos 62 minutos, selou o sétimo triunfo consecutivo dos ‘leões’ e marcou pela quinta vez nas últimas quatro rondas.

Enquanto os ‘leões’ reforçaram o terceiro posto, provisoriamente a cinco pontos de Benfica e FC Porto e com mais seis em relação ao Sporting de Braga, os insulares ‘afundaram-se’ no 16.º, já a quatro do 15.º.

Atrás, apenas o Desportivo de Chaves, 17.º, com 25, e o Feirense, que hoje viu decretada a despromoção à II Liga, cenário que há muito se antevia, já que a equipa de Santa Maria da Feira ganhou os dois primeiros jogos do campeonato e, depois disso, nunca mais triunfou — nove empates e 18 derrotas.

A ronda 29 prossegue no sábado, dia em que o FC Porto, segundo classificado, recebe o Santa Clara. O Benfica, líder, com os mesmos 72 pontos dos ‘dragões’, apenas joga na segunda-feira, também no seu reduto, perante o Marítimo.

Foto e Texto: Lusa

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem