Auto Soluções

Assinado o contrato para execução da variante à Trofa

Foi assinado o contrato entre as Infraestruturas de Portugal e a empresa M. Couto Alves SA, para execução da empreitada EN14 – Maia (Nó do Jumbo) | Interface Rodoferroviário da Trofa – 2ª Fase – Via Diagonal | Interface Rodoferroviário da Trofa, com um investimento de 32 milhões de euros e com 666 dias de execução.

Trata-se de uma empreitada  no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), integrada no plano de melhoria das acessibilidades rodoviárias às Áreas Empresariais. A EN14 entre a Maia, a Via Diagonal, e o Interface Rodoferroviário da Trofa, configura a segunda das duas fases de construção do lanço da Variante à EN14, entre Maia e a Trofa.

A presente obra diz respeito a um troço com cerca de 10 km, entre a Maia (Via Diagonal) e a Trofa (Interface Rodoferroviário), que se apresentará com um perfil transversal tipo 1×1 vias, iniciando-se no Nó com a Via Diagonal, já construído, e terminando na Rotunda do Interface Rodoferroviário da Trofa.

As três ligações à rede local previstas são:

  • À EN318, nas proximidades das Zonas Industriais do Soeiro e da Carriça;
  • À atual EN14, na localidade de Lantemil;
  • À rotunda existente que irá permitir a ligação da Variante à EN14 ao Interface Rodoferroviário da Trofa e futura continuidade para Norte.

No que respeita a Obras de Arte correntes serão construídas duas Passagens Superiores, duas Passagens Agrícolas e cinco Obras de Arte especiais, com a construção de quatro viadutos e uma ponte: o Viaduto sobre a Ribeira do Arquinho, com 374 metros, o Viaduto de Vilares, com 264 metros, o Viaduto das Covas, com 180 metros, a Ponte sobre o Rio Trofa, com 750 metros e o Viaduto sobre o Vale de S. Roque, com 472 metros.

Serão também construídos sete restabelecimentos de vias municipais, preconizando-se, na maioria dos casos, a melhoria das suas características em termos de perfil transversal. Os Nós, e respetivas Rotundas associadas, serão dotados de iluminação.
 


Estrada Nacional 14


O empreendimento da EN14 ligará os concelhos de Vila Nova de Famalicão, Trofa e Maia, através da EN14 e da sua nova Variante.

Numa primeira fase foi executada a empreitada de requalificação, com um investimento associado de 3,2 milhões de euros, numa extensão de quatro quilómetros, e que está em funcionamento desde julho de 2019. Esta empreitada teve os seguintes trabalhos:

1. EN14 – Beneficiação do troço entre Santana e Vitória

  • Extensão de 2,5 quilómetros;
  • Reabilitação integral do pavimento;
  • Construção de novos passeios e reabilitação dos existentes;
  • Criação de gares para paragem de transportes coletivos de passageiros;
  • Reformulação e melhoria das condições de articulação com a rede viária municipal existente.

2. EN14 – Beneficiação do troço entre Vitória e a ligação à Variante de Famalicão

  • Extensão de 1,5 quilómetros;
  • Alargamento da plataforma para 2 X 2 vias com separador central;
  • Construção de rotunda para articulação com a R. Rodrigues Sampaio e R. da Vitória;
  • Reabilitação integral do pavimento;
  • Construção de passeios;
  • Criação de vias coletoras para acesso ao estacionamento junto às zonas comerciais;
  • Implantação de abrigos nas paragens de transportes coletivos de passageiros;
  • Instalação de semáforos para controlo de velocidade e travessia de peões.

3. Rotunda de Santana

  • Com o objetivo de potenciar o efeito dinamizador das Unidades Industriais sediadas no território, em setembro deste ano, a Infraestruturas de Portugal e o Município de Vila Nova de Famalicão estabeleceram um aditamento ao acordo de gestão, tendo em vista a construção de uma nova rotunda na EN14, uma nova ligação, denominada Rotunda de Santana, que assegurará a articulação da EN14 com a futura via de acesso à Área Empresarial Famalicão Sul – Lousado.

Variante à EN14


Em relação à variante à EN14, esta é dividida por quatro troços, um deles já concluído e em serviço. Trata-se de uma ligação com de cerca de 1,3 km denominada Interface Rodoferroviário da Trofa.
 
Os restantes três troços foram divididos por empreitadas independentes:
 
1. A empreitada entre o Nó do Jumbo e a Via diagonal, em serviço desde dezembro de 2020, após um investimento de 5,2 milhões de euros para uma extensão de 1,8 km, visou o reforço da mobilidade, das condições de circulação e segurança rodoviária das populações, bem como a melhoria da acessibilidade para as empresas às áreas das zonas empresariais sediadas na zona.
 
Neste empreendimento foram executados os seguintes trabalhos:

  • Criação de uma plataforma rodoviária constituída por uma via por sentido com 3,50 metros de largura, mais 1,50 metros de berma;
  • Construção de quatro rotundas, assegurando a ligação com a rede viária local existente, onde se destaca a reformulação do Nó do Jumbo e a construção do Nó com a Via Diagonal;
  • Execução de restabelecimentos à rede viária local através da reposição de arruamentos;
  • Construção de duas Passagens Superiores.

2. O troço entre a Via Diagonal e o Interface Rodoferroviário da Trofa.

3. O troço entre Santana e Trofa, com investimento associado de oito milhões de euros para uma extensão de 2,4 km, que pretende eliminar os constrangimentos no atravessamento do centro urbano da Trofa e da travessia do Rio Ave, através da construção de uma Nova Ponte na sua zona mais estreita. Visa ainda melhorar as acessibilidades ao Hospital da Trofa e à Estação de caminho-de-ferro, diminuindo os tempos de percurso para o tráfego com destino ao tecido industrial e comercial existente implantado nas margens do rio. Outro dos objetivos passa por reabilitar as margens do Rio Ave.
 
Este projeto prevê ainda a construção de quatro rotundas para melhoria das acessibilidades e um conjunto de restabelecimentos desnivelados para garantia da mobilidade das populações. A nova ponte será construída na zona de Carqueijoso ligeiramente a Norte do Hospital da Trofa, cerca de um km a montante da atual ponte sobre o Rio Ave na EN14. O tabuleiro desta ponte terá uma extensão de 163 metros.


Investimento na EN14 – o objetivo


As intervenções no corredor da EN14, entre Maia e Vila Nova de Famalicão, visam reforçar as condições de segurança e de acessibilidade numa zona densamente povoada e com grande dinâmica empresarial, mas fortemente condicionada pelo elevado grau de congestionamento e pressão marginal que caraterizam a atual Estrada Nacional.
 
As especificidades intrínsecas das zonas atravessadas, que implicam necessariamente soluções adequadas, assim como os diferentes estágios de desenvolvimento dos projetos de execução, levaram à subdivisão das intervenções em três lanços principais: “Maia | Trofa”, “Variante à Trofa” e “Trofa | Vila Nova de Famalicão”.
 
O investimento neste corredor é prioritário, e além de solucionar os problemas de fluidez de tráfego pretende contribuir para:

  • Aproximar a indústria aos eixos que constituem a malha fundamental para o transporte de pessoas e mercadorias, tendo como foco a rede de autoestradas que caracteriza a envolvente (A3, A7 e A28);
  • Potenciar a Zona de influência do Aeroporto Sá Carneiro e do Porto de Leixões;
  • Melhorar a articulação com as infraestruturas ferroviárias.

Leia também...