Amigos do Pedal ponderam não repetir Maratona BTT (C/ Vídeo)

Mais de 500 amantes do BTT participaram na Maratona organizada pelos Amigos do Pedal. Apesar de não ter havido incidentes, alguns contratempos provocados por “desconhecidos” fazem a associação equacionar não voltar a repetir a prova.

Os Amigos do Pedal equacionam não mais realizarem a Maratona de BTT em Vila Nova de Famalicão. Foram “muitos os contratempos” que a organização encontrou para erguer a prova e não permitir que a integridade dos ciclistas não fosse beliscada. Tudo porque, segundo Paulo Machado Ruivo, da associação, “desconhecidos” tentaram “boicotar” a prova. “Durante a semana, fizemos uma pré-marcação que permitiria às equipas irem para o terreno, mas quando nos apercebemos, tudo tinha desaparecido na quinta-feira. Percebendo que havia má vontade por parte de alguém, metemos as equipas todas no terreno e marcamos de novo. Na sexta-feira, foram para o terreno seis motas, que continuaram a marcação e, aí, pensamos que tudo estaria calmo, só que, hoje (domingo), às seis da manhã, percebemos que, além de terem voltado a destruir tudo, remarcaram em sentido contrário para induzir os atletas em erro”, contou.
A organização teve de “voltar a marcar 80 quilómetros de traçados”, tarefa que Paulo Machado Ruivo apelidou de “brutalidade”.
Mas os “obstáculos” não ficaram por aqui. “Havia duas pessoas, com coletes parecidos com os nossos a desmobilizar quer os escuteiros, quer a polícia, em zonas perigosas, como atravessamentos de estradas, pondo em risco centenas de atletas”, frisou Paulo Machado Ruivo.
O responsável dos Amigos do Pedal afirmou desconhecer as motivações para um ato que considerou “um verdadeiro terrorismo”. Por isso, é quase certo que maratona não seja mais uma prova que integrará o plano de atividades dos Amigos do Pedal. “Não vale a pena pelas vidas humanas que, hoje, poderiam ter estado em risco, se não tivéssemos ido para o terreno e não tivéssemos a ajuda da GNR, da PSP, dos Bombeiros e até dos presidentes de Junta”, acrescentou.

Prova sem incidentes

Mesmo assim, a prova decorreu sem incidentes para os atletas, à exceção de uma queda que obrigou a transportar um atleta ao hospital.
Nos 70 quilómetros de Maratona, chegou primeiro Jacinto Fiúza, da equipa Batotas/Ponte de Lima, com uma vantagem de quatro minutos para o 2.º classificado, José Oliveira do Pedalbike/Oliveira Fitness. Daniela Pereira foi a atleta feminina mais rápida.
Na meia maratona, de 40 quilómetros, foi César Mariz, da Loja Staff, o primeiro a cortar a meta. Ana Rita Vale, da Batotas/Ponte de Lima foi a mais rápida entre as mulheres. Todos os atletas confirmaram a dificuldade acrescida que a chuva provocou, ao tornar alguns troços moles e escorregadios, mas também o agrado pelo percurso e a eficiência da organização foi unânime.
Para a prova estavam inscritos 680 atletas, mas a chuva acabou por desencorajar alguns, fazendo com que na grelha de partida estivessem cerca de 500 aventureiros que percorreram 40 ou 70 quilómetros, incluindo o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, que viu nesta prova uma oportunidade “de estar com os famalicenses” e “desfrutar da Natureza”. A próxima prova dos Amigos do Pedal é a de 24 horas de BTT, que está marcada para 9 de julho.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem