Alunos apresentam projeto “Incluir pelo gesto e pelo som”

“Eliminar barreiras linguísticas e promover a inclusão de alunos surdos” são os principais objetivos do projeto “Incluir pelo Gesto e pelo Som: dois por todos e todos por dois”, dinamizado na Escola Básica de Lagoa, pertencente ao Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco.

O projeto, que visa “envolver todos os alunos da escola e a comunidade educativa”, destaca-se “não só pelas iniciativas desenvolvidas, mas primordialmente pelo facto de constituir uma ação preventiva e potenciadora de capacidade de inclusão plena”. “Com este trabalho, ambicionamos divulgar a Língua Gestual Portuguesa como meio de comunicação”, adiantou fonte da escola.

No dia 2 de março, os alunos, acompanhados pelas professoras, apresentaram este projeto na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, “cantando músicas gestualizadas, e partilharam com o presidente, Paulo Cunha, e vereador da Educação, Leonel Rocha, os desafios e conquistas do projeto”.
No final do ano letivo 2015/2016, o projeto “Incluir pelo gesto e pelo som”, que surgiu no “âmbito da inclusão de dois alunos com surdez”, recebeu o 1.º prémio do Concurso Nacional Escola Alerta, promovido pelo Instituto Nacional para a Reabilitação. E foi a partir deste prémio que “construíram uma agenda com gestos da Língua Gestual Portuguesa”. Além da comunidade educativa da Escola da Lagoa, o projeto conta com o apoio de Luísa Peixoto, intérprete de Língua Gestual Portuguesa, Rui Loureiro, terapeuta da fala, e Fátima Dias, terapeuta ocupacional.

 

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização