https://muroplaco.pt/pt

“A questão salarial está em mudança profunda no setor”

Entrevistado pelo Jornal do Ave, Joaquim Lima, autor do livro “Os Empresários da Indústria Têxtil do Vale do Ave”, explicou o que o levou a investigar um setor que protagonizou um dos grandes desastres económicos e sociais na região do Vale do Ave no início do século. O investigador sublinhou o papel dos “grandes empresários tradicionais”, que “conseguiram sobreviver ao vendaval da mudança de paradigma do setor têxtil” e apontou para uma “mudança profunda” da indústria do ponto de vista salarial, sem esquecer a escassez de recursos humanos.
CÁTIA VELOSO

Jornal do Ave (JA): Porque é que decidiu fazer esta investigação e editá-la em livro?
Joaquim Lima (JL): A investigação de que resultou o livro “Os Empresários da Indústria Têxtil no Vale do Ave: contributo para uma sociologia da formação do habitus económico” como se constituiu, como se reproduziu e se reproduz a classe empresarial têxtil na região do Vale do Ave partiu da intenção de entender a diversidade das dinâmicas sociais que percorrem o tecido empresarial têxtil do Vale do Ave, interpretar o papel dos mais diversos atores através da análise dos seus projetos empresariais e aferir os mecanismos de reprodução social.
Esta viagem sociológica de oito anos procura ser apenas o incentivo para o despontar de novas investigações sobre a realidade empresarial do Vale do Ave, olhada de soslaio pelo país, envolta em alguns preconceitos, que secundarizam o seu papel social, transformando os empresários em meros instrumentos funcionais de cariz produtivo, esquecendo-se que são importantes instrumentos de desenvolvimento regional. A investigação teve como ponto de partida testemunhos de empresários na primeira pessoa sobre os mais diversos projetos empresariais do distrito industrial que é o Vale do Ave, onde mergulhamos profundamente por forma a construir um processo de análise conceptual a partir das suas disposições e práticas empresariais.

Leia a entrevista completa na edição 138 do JA, nas bancas.

Leia também...