Câmara de Famalicão aprova orçamento de “rigor e responsabilidade, ambição, inovação e arrojo”

A aposta no processo de internacionalização do concelho, o alargamento da gratuitidade de passes escolares aos alunos do ensino secundário, a criação de um banco de recursos de apoio à natalidade, a atribuição da comparticipação de medicamentos para seniores em situação social vulnerável, o alargamento da programação cultural descentralizada a todo o concelho, a concretização da pista de atletismo e a realização de obras de abastecimento de água e saneamento de águas residuais com ligação aos intercetores nas sub-bacias dos rios Este, Pele e Ave, são algumas das novidades que os famalicenses podem esperar para 2019, num exercício que o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, classifica  como “uma gestão para o presente e para o futuro”.

[rml_read_more]

As Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2019 do município de Vila Nova de Famalicão foram aprovadas nesta segunda-feira, 5 de novembro, em Reunião Extraordinária do Executivo Municipal, apontando para um exercício autárquico próximo dos 98 milhões de euros (97,8).

“O desafio permanente de construir Vila Nova de Famalicão faz-se pela via da inovação da gestão autárquica, como é exemplo esta nossa aposta na projeção de Vila Nova de Famalicão no mundo, mas também pelo exercício sério, responsável e arrojado nas áreas clássicas e incontornáveis da gestão autárquica”, explica o presidente da autarquia, falando numa “planificação ambiciosa, equilibrada e transversal” e num ano “à medida das nossas ambições e possibilidades e em sintonia com os compromissos que assumimos com os famalicenses. Com rigor e responsabilidade, ambição, inovação e arrojo.”

O Executivo estrutura a planificação do próximo ano a partir de quatro agendas estratégicas de desenvolvimento – Inclusivo, Sustentável, Inteligente e Governança –, mantendo-se fiel ao plano estratégico desenhado para o concelho até 2025. A prossecução de um conjunto de medidas multissectoriais, desde as novidades às que são já uma imagem de marca do concelho e muitas delas uma referência no país, são a corrente de engrenagem de transmissão de energia e qualidade de vida aos quatro cantos do concelho.

Paulo Cunha destaca “a área da Educação que permanecerá como uma pedra basilar do nosso exercício e que vai absorver uma boa fatia do nosso investimento por via da realização criteriosa de obras no parque escolar e do apetrechamento tecnológico das nossas escolas, mas também pelo desenvolvimento de um vasto e multifacetado conjunto de medidas que garantem a igualdade de condições e de oportunidades para todos os alunos de Famalicão”.

É esta aposta equilibrada entre o plano da infraestrutura física e a dinâmica que é incutida nas diferentes áreas da governação autárquica que garante “uma governação do séc. XXI”, em que “as despesas correntes com o desenvolvimento dos múltiplos programas de apoio são real investimento na qualidade de vida das pessoas e no apoio às famílias do concelho”.

O ano de 2019 em Famalicão será também o ano em que os grandes investimentos aprovados pelo Portugal 2020 começam a materializar-se, nomeadamente as obras previstas no PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano,  iniciando-se o processo de encaixe por parte do município  das respetivas contrapartidas financeiras acordadas. Isso explica em grande medida o acréscimo da previsão orçamental da receita para 2019  comparativamente ao orçamento originariamente previsto para 2018 que foi de 83,5 milhões de euros.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização