18
Sun, Feb
18 New Articles

A Oliveirense regressou hoje às vitórias, ao vencer o Famalicão por 2-0, com dois golos de Brayan Riascos, em jogo da 24.ª jornada da II Liga de futebol, disputado em Aveiro.
A equipa de Oliveira de Azeméis ‘vingou’ a derrota sofrida na primeira volta, em Famalicão, por 1-0 e quebrou o ciclo de oito jogos seguidos sem ganhar (quatro derrotas e quatro empates) para o campeonato e a Taça da Liga.
O jogo começou da pior forma para os visitantes que logo aos 11 minutos sofreram o primeiro golo, numa jogada de contra-ataque. Brayan Riascos apareceu na grande área do Famalicão, solto de marcação, e colocou a bola por baixo do corpo de Gabriel.
A reação do Famalicão surgiu aos 20 minutos, com Mendes a descair da esquerda para o centro do terreno, à entrada da grande área, e a rematar fraco para as mãos de Júlio Coelho.
Os visitantes voltaram a estar perto do empate aos 30 minutos, quando Feliz quase aproveitava uma falha defensiva da equipa da casa, mas não conseguiu desviar a bola de Júlio Coelho.
Aos 44 minutos, numa jogada individual, Brayan Riascos rematou cruzado com a bola a passar junto ao poste direito da baliza de Gabriel.
O avançado colombiano voltou a estar em destaque perto do intervalo, após a cobrança rápida de um livre, que apanhou a defesa famalicense desprevenida. Um corte defeituoso de José Pedro colocou a bola nos pés de Riascos, que se limitou a encostar, 'bisando' na partida.
Na segunda parte, Vasco Seabra reforçou o ataque com a entrada de Willian, que teve nos pés uma oportunidade para reduzir a vantagem aos 65 minutos. O avançado brasileiro recebeu um passe de Feliz, correu isolado para a baliza e tentou fazer um ‘chapéu’ a Gabriel, mas a bola passou por cima da barra.
Até ao apito final, a formação orientada por Pedro Miguel geriu a vantagem sem sobressaltos e o resultado não viria a sofrer alterações.

 

Fonte: Lusa

Fotografia: FC Famalicão

Riba de Ave não vai ficar sem os serviços dos CTT, mas o posto atual vai mesmo encerrar. A Junta de Freguesia de Riba de Ave e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão chegaram a acordo com a administração do operador postal.

O serviço que era prestado pelo posto local dos CTT vai continuar a estar ao dispor dos ribadavenses, mas em contornos distintos do que os que até agora serviam a vila. Depois das várias manifestações contra a saída do posto dos correios da vila e das reuniões entre os autarcas e a administração dos CTT parece haver fumo branco quanto ao futuro destes serviços em Riba de Ave.
O balcão vai ficar instalado na sede da Junta, “que vai garantir todas as tarefas até agora prestadas no posto”, pode ler-se em nota de imprensa enviada aos jornalistas.

 

Leia a reportagem na íntegra na edição n.º 121 do Jornal do Ave

De forma a dar um impulso à atividade agropecuária em Vila Nova de Famalicão e a promover a utilização das melhores práticas ambientais, os proprietários de explorações agropecuárias vão estar isentos das taxas municipais urbanísticas de legalização de construção, utilização e melhoria das condições de salubridade e segurança, até junho de 2019. A proposta do presidente da Câmara, Paulo Cunha, foi aprovada em Assembleia Municipal, em dezembro de 2017.
“Com esta proposta pretende-se desincentivar a prática das operações urbanísticas ilegais e promover a regularização das construções existentes”. E tendo “o setor agrícola uma importância significativa no território, contribuindo para o desenvolvimento sustentado económico-social e para a promoção do emprego, é de interesse municipal promover políticas que visem salvaguardar a manutenção do maior número possível de explorações agropecuárias no concelho”, finalizou o autarca.

O Museu do Automóvel, no Lago Discount, em Ribeirão, vai receber, a partir das 15 horas de sábado, dia 10, a exposição “Monolugares em Portugal – Passado e Presente”. O Fórmula 3 que conduziu Michael Schumacher à vitória do Grande Prémio de Macau – Reynard 903 da Volkswagen – será a estrela da mostra. Cerca de 20 automóveis que são marca da história do automobilismo vão poder ser vistos até ao dia 14 de março.
O Fórmula V, Fórmula Renault e o Fórmula BMW, o Mygale FB1-BMW, que levou o ex-campeão DTM Martin Tomczyk ao triunfo da primeira edição na Fórmula Baviera Júnior Cup, o Mygale 2000 Ford, com que Pedro Salvador se sagrou campeão da Fórmula Novis by Ford, e o monolugar de construção nacional APIS, que compete na classe Super Tuga da Fórmula Ford Portugal, bem como monolugares de gerações anteriores, como o Lotus 61 M, ex-Robert Giannone ou o Olympic, que foi campeão de Fórmula V em Portugal pelas mãos de Manuel Nogueira Pinto, são alguns dos carros que estarão em exposição.
Os amantes da modalidade vão poder visitar a exposição de terça a sábado, entre as 10.00 e as 12.30 horas e as 14.30 e as 17.30 horas.
A exposição vai ser inaugurada com uma tertúlia aberta ao público sobre os Fórmulas em Portugal, com a participação do ex-piloto Carlos Gaspar, Miguel Lacerda, José Leite e João Paulo Matos.

 

O ponteiro do relógio move-se a cada 60 minutos e a cada rotação três pessoas morrem em Portugal vítimas de cancro. A doença é responsável por 25 por cento das mortes no país, o que equivale a 70 óbitos por dia. O cancro do pulmão, do cólon e reto, da mama e da próstata são os que mais matam. O dia 4 de fevereiro assinala o Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, por isso fomos à procura de testemunhos de quem o viveu na primeira pessoa ou de quem lutou contra a doença pelos laços de sangue. 

Gorete Lobo e Helena Rodrigues são dois exemplos de luta e, mesmo sem se conhecerem, partilharam também a vila de residência: Joane. Nesta freguesia famalicense, com cerca de oito mil habitantes, encontramos duas histórias de quem enfrentou a mais dura batalha das suas vidas: o cancro. Gorete pode contar-nos a história. Helena perdeu a batalha, mas a filha, Joana Castro, quis mostrar que, apesar de tudo, a mãe será sempre um exemplo.
Curiosamente, apesar dos desfechos diferentes, ambas descobriram que tinham cancro no mesmo ano: 2014.
Gorete Lobo tinha 51 anos. Decorria o mês de julho quando deitada no sofá foi mordida por um inseto. Estava longe de imaginar que a picada a faria descobrir um cancro da mama. Desde os 47 anos que Gorete fazia anualmente a mamografia, exame que, ironicamente, tinha realizado “quatro meses antes”, sem qualquer indicação do que estava por vir. A primeira biópsia foi “inconclusiva”, a segunda trazia o pior diagnóstico: cancro maligno.
Helena Rodrigues, com 61 anos, descobriu que tinha cancro no cólon em dezembro. A doença, já em estado avançado, foi detetada depois de várias idas ao médico de família, várias tentativas de medicação falhadas para uma dor constante no abdómen que alastrou à perna direita. Numa ida às urgências do Hospital de Guimarães a família ouviu aquilo que ninguém quer ouvir: “No máximo dois meses de vida”. “Foi rápido, silencioso e estava espalhado por todos os órgãos”, descreveu a filha Joana Castro.
Gorete nunca sentiu dor nenhuma. Helena perdeu muito peso, não tinha apetite e andava exausta. Duas mulheres. Dois cancros. Duas histórias com final diferente.

 

Leia a reportagem na íntegra na edição n.º 121 do Jornal do Ave 

A estreia em palcos famalicenses da rapper portuguesa Capicua é um dos principais destaques da programação do mês de fevereiro da Casa das Artes, em Vila Nova de Famalicão.

No concerto, que está marcado para as 21.30 horas desta sexta-feira, 9 de fevereiro, no grande auditório, a rapper portuguesa vai revisitar todos os álbuns e mixtapes, com novos arranjos e energia renovada, acompanhada por D-One (samples e scratch), Virtus (programação e samples), M7 (na voz de suporte), Luís Montenegro (baixo, guitarra e sintetizador), Ricardo Coelho (bateria) e Sérgio Alves (teclados).
No dia 17 de fevereiro, pelas 23.30 horas, é a vez da cantora e compositora portuguesa Lula Pena passar pela Casa das Artes, para um concerto de apresentação do seu novo álbum - “Archivo Pittoresco” - interpretado em várias línguas, como grego e francês, a partir de textos próprios e de outros autores.
Na música, destaque ainda para os concertos dos Jigsaw & The Great Moonshiners Band e de Victor Torpedo Karaoke Show (sábado, dia 10), a atuação da Banda Sinfónica Portuguesa (dia 17) e do projeto portuense Serushio (dia 24).
No teatro, referência para a estreia da peça “O Deserto de Medeia”, que vai estar em cena no grande auditório nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro. Um espetáculo com encenação de Luísa Pinto, que nos últimos três anos reuniu histórias reais de mulheres que mataram os seus filhos. Confrontando-se com os inúmeros casos relacionados com o complexo de Medeia, Luísa Pinto decidiu levar à cena uma reflexão sobre o Filicídio, crime que está longe de ser uma abominação exclusiva da antiguidade, mas que ocorre na atualidade, inundando noticiários e páginas de jornal.
Nota ainda para o cinema, com a Casa das Artes a exibir, a 10 de fevereiro, o novo filme de George Clooney – “Suburbicon” – e de Steven Spielberg – “The Post”, a 16.
Mais informações em www.casadasartes.org.

Videos em destaque

Siga-nos no facebook